READING

#falacuradora > minha barriga não é de Buda!

#falacuradora > minha barriga não é de Buda!

Uma das coisas que mais me assustou na minha gravidez em 2017 foi as pessoas pegando na minha barriga. Sim, refiro-me às pessoas assim no plural e sem qualquer relação pois eram pessoas desconhecidas, numa fila de mercado, farmácia ou elevador, chegando e tocando na minha barriga saliente.

Lembrava sempre da ‘história’ de que sempre devemos tocar a barriga de um Buda para ter sorte e sentia-me um verdadeiro Buda com minha barriga auspiciosa. Sentia-me ainda completamente invadida com aqueles toques de desconhecidos, mesmo que a maioria deles sempre viessem recheados de boas energias e votos de felicidades. Pensando bem, por vezes, eu até colocava a mão na barriga como se fosse uma forma de protegê-la das mãos alheias desconhecidas. Não era o carinho da vovó, da tia ou amigo de infância; entendo que era um carinho mas definitivamente também entendo que não devemos tocar no corpo de quem não conhecemos quiçá na barriga, aquela parte tão nossa que costuma, inclusive, ficar sempre coberta e reservada para os mais íntimos dos momentos.

Mas eis que grávida na pandemia não tem este problema!!! E ao perceber isso penso que o bebê que nascera agora na também não terá toques desconhecidos quando nascer 🙌🏻  penso que não teremos mãos alheias tocando o rostinho do recém-nascido tampouco seu pezinho ou – a pior de todas – suas suaves mãozinhas que vem e vão livremente da sua bela e limpa boca. Penso nisto e abro um sorriso então, entre máscaras, e orgulho-me silenciosamente em conseguir ver mais um lado positivo no meio desse caos.

Photo by Jose Luis Sanchez Pereyra on Unsplash


INSTAGRAM
NOS SIGA PRA MAIS EXPERIÊNCIAS