#viajacuradora < HAVAÍ

Aiii Havaí! Que bagunça você fez na minha cabeça! Pra onde ir depois de você?

Que lugar meu Deus!

Ouvi de muitas pessoas durante estas dias que o destino estava em “sua bucket list”. Confesso que não estava na minha tanto assim, apesar de viver intrigada com um comentário que meu marido fez há anos atrás quando veio com os amigos: é mais bonito que Noronha. Achei uma ofensa, cheguei a ficar até brava rss.

E para não responder a pergunta, já vou adiantando: cada lugar tem a sua especialidade e a competição fica desleal porque apesar de terem muito em comum, o tamanho de cada ilha faz com que se tornem incomparáveis. Enrolei a resposta? Talvez, meu amor por Noronha não me permite ir adiante 🙈

O fato é que agora tenho duas paixões com o desejo de voltar e voltar e voltar. E… ainda tenho uma desculpa: fomos apenas para a ilha de OAHU, pois as demais estavam todas fechadas em virtude da COVID e dizem que Big Island consegue surpreender ainda mais por suas paisagens e Maui também é imprecionante: mais uma cina para desvendar!

 

Bom, vamos ao que interessa!

 

ONDE FICAR:

Como decidimos ir 10 dias antes da data, além de muita coisa fechada pela pandemia, não tínhamos muitas opções.

Acabamos ficando em Waikiki (Marriott Waikiki beach)  contra a vontade de não ficar no North Shore e acabou sendo super legal. O quarto era super espaçoso e agradável.  

Há resorts muito legais em Ko Olina de frente para laggons (praias particulares de água do mar, porém com barreiras feitas para não ter ondulação) como o For Seasons e Hotel da Disney. Há ali também um Marriot com cozinha (o que fez muita falta para mim com as crianças).

** a se considerar:

– Nós fazemos muitas coisas durante o dia. Para ter ideia conhecemos a piscina um dia antes de ir embora. Não vale gastar com um mega resort se o caso é usar apenas para dormir. Nesta caso vale o conforto e localização.

– Ficar em Waikiki acabou sendo válido pela estrutura de sair comer a pé, comercio e a praia em frente com o surf camp que a Maya fez 4 dias dos 13 que ficamos das 8:00 – 12:00hrs e amou (deixávamos ela sozinha, fazíamos outras coisas com o Gael e voltávamos buscar). Porém, como todo dia tinha surf, dirigíamos 1hora para ir e 1hora para voltar, quando este percurso não era feito por duas vezes, ou seja: 4 horas dentro do carro. Mas, o astral era tanto que nem por um dia isso me incomodou rss

– Hospedagem no North Shore é rara. De legal mesmo tem o Turtle Bay resort (que estava fechado para reforma).

– Se for em mais pessoas e com crianças principalmente, alugar uma casa é sempre a melhor opção. Estadias by @tailormadestay.

 

O QUE COMER:

Para o meu paladar, poderia ficar por lá por um bom tempo. É poke e mais poke (arroz com peixe cru e temperos e especiarias variadas), quase sempre (muito) picante. Hummm, amo!

Para as crianças, que amam peixe cru, conseguíamos pedir em alguns lugares. Era difícil conseguir sem molho, o que dificultava. Rolou muito chicken fingers, batata frita, pizza e abacaxi. Aquela combinação que você entope de frutas o dia inteiro para se sentir menos mal com a quantidade de batata.

*Em Waikiki:

– DUKE´S (comida boa, pé na areia, musica ao vivo) – tem que reservar! Peça mesa ao ao livre.

– restaurantes do roof top do International Market (shopping aberto lindo e astral)

– Rigo (espanhol/italiano)

– Diamond Head Market & Grill (salvou por muitos dias. Era take out, o que era otimo porque pegávamos voltando da praia e jantávamos no quarto. Arroz com saladinha e frango, carne ou camarão grelhado. O frango era divino. Bem simples e honesto).

– Pioneer saloon (era nosso pedido pelo uber eats para poke no mesmo lugar com arroz com carne para as kids)

 

*North Shore:

– Banzai sushi bar

– Beach house

– Foodland (dentro do mercado tem poke para levar! Super vale!)

– Food truck brasileiro de açai e pastel (feito na hora): CRISPY GRINDZ (parado numa ruazinha fixa na altura de Pipeline)

– Pizza … (grudada com uma lojinha chamada North shore surf boutique: me apaixonei pela ala infantil)

– Tem trucks por tudo e sou a rainha de comida de food truck. Fish tacos, camarão, poke rss.

 

COMPRAS:

Se você é da turma que adora uma roupinha surf para as kids, se prepara! Diferente do resto do mundo todo, praticamente todas as lojas tem uma ala infantil enlouquecedora. Para menino as bermudas de todas as marcas legais são uma perdição. Para as meninas, as blusas/moletons no melhor estilo praia com vento são de matar.

*destaque para as bermudinhas da marca Vissla (2 lojas próprias em Waikiki), oh my god!

*mesmo no Havaí os sites de marcas de surf tem pouquíssimas peças a venda. São nas lojas físicas mesmo que você vai estourar o cartão!

O centrinho de Haleiwa vale o passeio e Kalakaua Avenue em Waikiki é imperdível. Em meio a todas as marcas de grife dá para fazer a festa entre uma Céline, Monclair ou uma flag ship da Quicksilver ou da Vans. A rua é inteira de lojas, e, ainda, a cada quadra surge uma galeria, espécies de shoppings a céu aberto. Destaque para o International Market.

A água estava bem fria e tivemos que comprar sleeve para as crianças. Poderíamos ter achado um destas lojas, mas sem saber que era um pouquinho fora de mão, nos indicaram a loja Up & riding no shopping Kalakaua. Valeu a pena ter ido até lá, apesar do shopping ser feio e não termos feito mais nada rss

*esta roupinha de surf/para água fria do Gael é da Vissla e foi comprada na Up&riding.

O Shopping la Moana também possui um corredor a céu aberto com muitas lojas legais!

 

O QUE FAZER:

Alguns comentários a se fazer antes de listar os lugares:

– O Havaí é super kids friendly! Qualquer programa que decidir fazer vá seguro que as crianças vão aguentar! Até mesmo a trilha para subir no vulcão de Diamond Head é entupida de crianças. Talvez demore mais ou menos e também talvez tenha que ter o empenho de levar alguns trechos no colo, mas ela não é difícil, tampouco super íngrime que não valha a tentativa.

– Sempre que ver que um lugar tem no nome “beach park” significa que além da praia, terá um gramadão incrível com espaço para picnic, banheiros, chuveiro e facilidade para estacionar.

– Muitas praias não possuem comercio de comidas e bebidas, tenha sempre em mãos um lanchinho e, pelo menos, água!

– Chove com uma certa frequência! Fomos no inverno e mesmo esfriando um pouco não era uma chuva que atrapalhasse. As pessoas seguem fazendo o que estavam como se nada estivesse acontecendo rss

Para entrar no clima: capa de chuva (fininha mesmo) para todos!

Separando em blocos de lugares por localização:

1.

1.1. Trilha para subir o Diamond Head (vulcão)

1.2. Kawaikui beach park

1.3. Sandy Beach

1.4. China walls – lugar exclusivamente para ver o pôr do sol. Diria que é um must go! Como o programa é apenas este, consulte que hrs o sol vai se pôr para chegar meio perto do horário.

 

 

2.

2.1. Mirante de Makapu´s Point (pouco antes deste mirante tem uma trilha até um farol que acho que deve ser incrível, mas é 1 hora de caminhada para ir e 1 para voltar. Estavamos de chinelo e despreparados e não fizemos…)

2.2. Waimanalo Beach (sem palavras!)

2.3. Lanikai Beach (o Taiti é aqui rss)

2.4. Lanikai Pillbox (suba o morro atras da praia para ver uma vista incrivel e, quem sabe, o pôr do sol)

 

3.

3.1. Agende um passeio de barco para fazer snorkel e ver golfinhos, baleias e tartarugas com a Ocean Joy Cruises (barco bom, comida e bebida otima e tripulação super gente fina). Faça o do primeiro horário para ver mais vida marinha.

3.2. Passeie pelas inúmeras lagoons de Ko Olina

3.3. Labirinto e passeio de trem das plantações de abacaxi de Dole Plantantion

 

4.

North Shore (divida em quantos dias conseguir voltar, nós fomos pelo menos meio periodo do dia, todos os dias rsss).

4.1. Praia de Rocky Point (linda, com muita onda e uma barreira de corais que seguram as ondas para poder ficar com as crianças – apesar de bastante pedra)

4.2. Praia de Pipeline (famosa pelas big waves)

4.3. Praia de Waimea (tenha a sorte de ver as crianças surfando no canal que desemboca no mar)

4.4. Cachoeira e Jardim Botanico de Waimea (a trilha pela jardim botanico vale mais do que a cachoeira, mas super indico! Trilha de 30/40 minutos e só pode entrar na cachoeira se chegar antes das 16hrs. Considere isso para se organizar!)

*dentro do Waimea Valley tem um luau super tradicional com danças e rituais da Polinesia. Não somos muito de passeioes turísticos e também não agendamos com antecedência e por causa da pandemia muitos shows não estavam acontecedendo. Vimos tudo montado para este acontecer e achei o lugar especial. Se a intenção for ver um destes espetáculos (que normalmente oferecem jantar), aconselharia a fazer o passeio da cachoeira e já ficar direto por ali (tem vestiário caso precisem dar um trato antes de começar um novo programa rss).

4.5. Sharks cove (lugar incrível para snorkel)

4.6. Praia de Haleiwa (na altura do parque – Haleiwa beach park – o fim de tarde com as crianças é o lugar mais astral da vida! Vale nem que seja para ver crianças a partir de 1 ano surfando sozinhas)

4.7. Centrinho de Haleiwa – para comer e fazer comprinhas (veja os restaurante compras acima)

4.8. Haleiwa river (facilmente você irá ver vários lugares para alugar standup paddle e caiaques; o rio é cheio de tartarugas para animal o passeio)

4.9. No antigo moinho de cana tem uma fábrica de sabonetes (Soap Factory) que você compra barras de sabonete e carimba com um martelo, estampado um dos mais de 20 modelos que tem lá. Parece uma besteira, mas a turminha aqui amou demais! Provavelmente você vá passar na frente de qualquer jeito e é rapidinho.

(dica para as mães que tem preguiça de passar creme depois do banho: os óleos de passar ainda dentro do chuveiro hidratam demaaais a pele)

4.10. Praia de Turtle Bay (entrada pelo resort de Turtle bay; tem praia, campo de golfe, restaurante, chuveiros…)

5.

5.1. Hanauma Bay: MUUUUST GO!!

Era um vulcão que abriu, o mar entrou e se formou uma baía cheia de corais. Lugar inesquecível para faezr snorkel e a praia é maravilhosa! Tem limite de pessoas por dia, então muito cedo forma uma fila para entrar e depois que atinge este limite só entra conforme vão saindo, por isso, diz que ou você chega antes das 7 da manhã fica até a hora que abre (entre 8:00 e 9:00 verificar) ou começa a entrar a partir do meio dia. Chegamos lá as 13hrs e ficamos 40 minutos na fila, achei que até foi ok se considerar quem quase entrou comigo mas chegou as 9:00 rss.

Às 16 horas expulsam todo mundo da praia.

Nos arredores tem vários mirantes para passear.

6.

6.1. Kualoa Ranch

Onde foi gravado o filme Jurrassic Park. Somente por isso já valeria a pena. Há algumas locações em que o cenário ficou lá para sempre. Mas, fora isso, tem passeio a cavalo e quadriciclo, trilhas e tiroleza. A parte ruim é que eles restringem bastante os passeios por idade. Dê uma olhadinha antes!

6.2. Templo de Byodo-in (templo budista no pé de uma infinidade de montanhas; passando por dentro de um cemitério para chegar nele. Lugar lindo, cheio de paz).

7.

Pearl Harbor

Não tenho uma opinião formada rss.

Nós fomos porque sou curiosa e realmente gosto de história e programas culturais. Mas, não sei se foi a besteira de ter comprado o passeio no hotel e o que eu poderia ter feito em

uma manhã durante um belo dia inteiro, com apenas 1 hora e meia dentro do complexo e o resto dentro de um ônibus escutando um guia falar sem parar, enquanto passava por monumentos

históricos, ou se é um passeio que faz mais sentido para os americanos mesmo, pelo emocional que os carrega. Há um navio naufragado que sobre ele foi construído uma espécie de passarela para o ver sob a água. O lugar é bonito e a construção linda também. Mas dá para ver ou identificar as partes do navio muito mal e nas salas que antecedem também tem mais fotos do que outra coisa. Não fomos na área de Missouri que possui um submarino, talvez tivesse dado um up no passeio. Enfim, como comecei… não sei o que dizer! Vá se tiver tempo de sobra #prontofalei.

 

Acabei de chegar e escrever este roteiro já me deu uma nostalgiaaaaa…


Posts relacionados

INSTAGRAM
NOS SIGA PRA MAIS EXPERIÊNCIAS